Página inicial / Notícias / “Jogos de PC são mais vulneráveis a hackers, no entanto, outras plataformas não estão a salvo” diz Designer de Games

“Jogos de PC são mais vulneráveis a hackers, no entanto, outras plataformas não estão a salvo” diz Designer de Games

24379962045_e1341ac034_o

A prática de usar códigos e truques durante uma partida gamer não é algo recente. Conhecido como hackers ou Cheats, termos usados no cenário gamer, essa é uma forma de enganar o sistema pré estabelecido e mecânico de um jogo, fazendo com que algo que estava “fora do script” ocorra para dar algum tipo de vantagem ao jogador.

No cenário de games é comum ouvirmos reclamações principalmente em jogos on-line, por se tratar de um sistema mais aberto e que permite que o usuário faça mais coisas, do que hackear um game para console (como Playstation ou Xbox), por serem máquinas mais “fechadas” (entende-se “protegidas”), os jogos de PC acabam sendo mais vulneráveis a hackers, no entanto, outras plataformas não estão a salvo de trapaceiros, é o que diz André Santee, Designer de Games da empresa Asantee Games.

Esse é um grande problema que muitas desenvolvedoras de jogos na plataforma on-line enfrentam. No mês de maio, por exemplo, Felipe Panettoni, Gerente de Comunidade na empresa Ubisoft Brasil, publicou em grupos relacionados ao FPS Rainbow Six Siege, que a empresa iniciaria um novo processo de banimento de jogadores que usam Hacks. Além de intensificar a punição aos cheaters, a Ubisoft permitirá que toda a comunidade presente reporte vídeos e nicknames.

“Mais uma vez peço que não usem qualquer tipo de Hack/trapaça. Além de jogar fora o seu tempo, ainda atrapalha o tempo de divertimento das outras pessoas”, argumentou o Gerente de Comunidade, em comunicado no grupo de R6.

André Santee, Designer de games, relata que apesar de jogos de PC serem mais vulneráveis, também é possível trapacear em qualquer outra plataforma.

“Existe uma máxima entre os desenvolvedores que diz o seguinte: Todo hacker sempre consegue dar um jeito de hacker algum sistema ou game. Portanto, sim. Porém, tradicionalmente, consoles do tipo são mais difíceis de se hackear e exigem mais trabalho do jogador que deseja fazer isso”, acrescentou.

No cenário existem “jogadores” que não se importam em usar outros métodos para ganhar uma partida ou subir de nível. Entretanto, eles acabam “dificultando” o trabalho de outros que buscam se esforçar e treinar de forma honesta.

Vale lembrar que ao usar Cheats, em FPS, FPA, TPS, RPG, MOBA, ou qualquer outro jogo, você estará trapaceando e ao fazer isso, não conhecerá a dinâmica do game, ou seja não irá evoluir suas habilidades.

Recentemente um jogador do competitivo de Rainbow Six Siege, Júlio “julioakajulio” Giacomelli, fez um vídeo chamando atenção para um problema que acontece tanto no ‘FPS’, quanto em outros cenários de games. Indignado com a situação, o jogador citou um fato que aconteceu no campeonato Americano da pro-logue, na qual um jogador do clã “Vws-Clever”, decidiu fazer uma stream enquanto jogava o campeonato, e claramente era possível ver que ele estava usando cheat.

print 1
Foto de divulgação: Jogador do clã “Vws-Clever”.

print 2

No código de conduta estabelecido pela Ubisoft, na página de R6, é possível conferir que a empresa adverte que cada jogador deve respeitar outros usuários. Contudo, ao usar programas inadequados para aumentar o nível ou ganhar uma partida, você estará burlando o código da empresa.

“Qualquer tentativa de edição, corrompimento ou mudança dos códigos do jogo e/ou dos servidores é estritamente proibida. Qualquer instância verificada de tais comportamentos resultará no cancelamento imediato da conta, bem como na possível abertura de um processo sujeito às disposições penais”. “É estritamente proibida a encomenda de processos de hackeamento a terceiros, o uso de códigos para cheating e para a criação de bots em geral”.

Outra coisa que é importante salientar, é que nem sempre quando o player pensa que está jogando com um Hack, significa que o adversário esteja usando programas para ter vantagens no jogo.

André Santee, que trabalha há 14 anos na área de desenvolvimento de games esclarece que, “problemas em conexão de jogos on-line podem causar “anomalias” nos resultados do jogo. É um desafio para os desenvolvedores de jogos desenvolver mecanismos que minimizem as consequências dessas perdas de dados”.

Por fim, André acredita que a questão envolvendo hackers em qualquer plataforma de jogo não cabe apenas a noções básicas de segurança de software, somente isso não basta, é preciso contar com a ajuda dos jogadores e dos próprios hackers para identificar as vulnerabilidades do game e à partir daí, resolvê-las.

A atitude da Ubisoft em ouvir a comunidade e tentar reverter a situação, mostra o quanto a empresa valoriza e leva a sério o código de conduta imposto aos usuários. O termo de uso de Rainbow Six Siege estabelece que, Cheating / Modding / Hacking, podem ser banidos e sofrer as seguintes restrições:

  • Primeira Agressão: Suspensão temporária por um período máximo de 15 dias.
  • Diversas Agressões: Banimento permanente

O termo de Uso de Rainbow Six Siege e mais o código de conduta, está disponível neste link. 

Leia também:

Ubisoft reforçará medidas contra fraudes em Rainbow Six Siege

 

Deixe sua opinião

Sobre Verônica Magalhães

Verônica Magalhães
Jornalista formada na UMESP- Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou durante quatro anos com Rádio Jornalismo. Apaixonada e amante da comunicação contribuiu na produção de notícias para o portal do time Santos Dexterity.

Veja também

13319747_937139359725333_1105934601293413041_nab

Brasileiros da 2Kill são campeões mundiais de Point Blank

Após vencer o desafio nacional, os brasileiros da 2Kill Gaming (antiga BomptoN) rumaram para a ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *