Página inicial / e-Sports / ‘Cblol 2016’: Equipes estão insatisfeitas quanto às regras

‘Cblol 2016’: Equipes estão insatisfeitas quanto às regras

Em matéria ao portal de notícias TeamPlay, dirigentes de clubes de e-sports eletrônicos demonstraram sua insatisfação quanto ao CBLOL 2016, organizado pela gigante produtora Riot Games. As questões apontadas foram relacionadas ao valor repassado para as organizações, já que no último split do CBLOL a Riot Games repassou à cada equipe aproximadamente a quantia de 40 mil reais, mas exigiu também que os jogadores recebessem 30 mil reais sem impostos. Ou seja, a organização teria que arcar com os descontos e impostos para que a regra fosse cumprida – lembrando que durante os splits do CBLOL as equipes não podem jogar outro campeonato.

cblol_2015_final_florianopolis_40Em entrevista, representantes de organizações brasileiras preferiram ficar em anonimato por receio de represálias

Querem reivindicar aumento sobre o que cada organização recebe. Segundo uma das pessoas que procurou o portal, não teriam como continuar e que os demais times LATAM receberam algo entorno de 18 mil dolares por ‘split’ nessa ultima temporada. Já no Brasil, teríamos a diferença de 30 mil reais se levarmos em consideração a conversão de moedas.

“Com o dinheiro que sobra, nós não conseguimos pagar nem três meses de aluguel da nossa gaming house. Será que é tão rentável assim ter um time? Fora que alguns times ainda não receberam as premiações ou os royalties dos ícones. A Riot falou que em 2015, o repasse aos times seria baixo por que estavam investindo nos estúdios e que em 2016, tudo iria ser diferente. Legal tudo isso até que na última reunião, descobrimos que nada mudará e tudo continuará no mesmo valor de 2015 e a única coisa que será diferente é o estúdio, que eles estão reformando novamente. Mas uma coisa temos que ressaltar, o estúdio é de primeiro nível e a produtora que faz os serviços lá é uma das melhores do Brasil, Casa Blanca” segundo um dos representantes anônimos.

“As equipes brasileiras, que são as maiores organizações do hemisfério sul, recebem menos que as demais equipes da mesma região. Qual é a lógica disso? Por que somos tratados assim? A empresa prometeu apresentar patrocinadores para os times e fazer meeting com as organizações internacionais e sabe o que aconteceu? NADA!”

Em entrevista, organizadores preferiram ficar em anonimato.

E isso não é a única coisa que os incomoda: Para o próximo split do campeonato, a premiação será apenas de 45 mil reais. É uma queda significativa, já que no ultimo split a premiação foi cerca de 150 mil reais. São mais de 100 mil reais tirados de premiação.

cblol_2015_final_florianopolis_93

Uma pessoa ligada às equipes informou das novas regras impostas pela produtora. Ser obrigado a ter reservas e um treinador é uma delas, mas isso faz com que os gastos da organização sejam maiores ainda, e que não seria nada justo que o repasse que os times tem por conta de exclusividade*, não aumentar junto. Riot também obriga que as organizações tenham gaming house e que cumpram todos os compromissos na capital (SP), ou seja, tendo que arcar com os custos de vida no Estado mais rico do país.

”A Riot paga por três meses e obriga os times a manterem os jogadores por perto por pelo menos seis meses, já que algumas vezes eles tem que cumprir obrigações nos estúdios da empresa, como gravações extras de conteúdo e tudo mais que vocês vêem nos eventos ou pela internet. A Riot tentou multar times que não enviaram os jogadores para as gravações e a multa, seria superior ao que a empresa pagava aos times mensalmente. Qual o cabimento e por que tanta ameaça? A empresa custeia o táxi ou o meio de transporte do jogador para comparecer ao estúdio? NÃO!”

 

“O CBLOL tem uma audiência altíssima durante o ano todo. É difícil entender como a empresa não se espelha em campeonatos da mesma produtora em outros continentes. Por exemplo, na LCS NA/EU, temos a Coca-Cola. Com patrocinadores desse nível, as organizações poderiam ganhar mais e a produtora não mexeria tanto no proprio bolso. Um outro motivo pelos times estarem assim é que no Torneio Pós Temporada e que teve estréia com a campeã INTZ, equipes participantes não receberam nada.”

Primeira-Semana-do-CBLOL-2015

Como será o próximo split do CBLOL aqui no Brasil? Algumas equipes estão ameaçando não jogar para a próxima temporada. A Riot Games Brasil ainda não se pronunciou e estamos abertos para discussões e esclarecimentos.

* Os times que disputam a CBLOL, não podem disputar nenhum outro evento de League of Legends no Brasil durante o split

As entrevistas inclusive a matéria tiveram como fonte a TEAMPLAY

Deixe sua opinião

Sobre Victor 'Cebratelli' Hugo

Victor 'Cebratelli' Hugo
23 anos, Paulista, lolzinho. Jogo vídeo-games desde que me conheço por gente, e minha infância teve muito Mario e Sonic :).

Veja também

INTZ revela jogadores que vão compor line-up no CBLoL 2017

Após especulações e transferências inesperadas, o INTZ e-Sports Club revelou nesta segunda-feira (05) os jogadores ...

Um comentário

  1. Como tudo o que existe no brasil que envolve dinheiro, a riot não é diferente em relação a corrupção e lucros. Lamentável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *